10.7.17

Em seara alheia


Rasga o Poeta as Vestes

Rasga o poeta as vestes. E clama seus passos
Ousando, de queda em queda, o fogo do milagre
E os caminhos de Damasco
E a Iluminação perene
Que o redima.

Não a prece, nem a tempestade. Nem o anjo.
Nem a espada - são de pedra seus passos
E inóspitos seus caminhos.

E é de areia o rosto das miragens.
E é de fel o colapso de seus dias.
E de amargura a água dos rochedos.

Ousa porém o poeta o milagre inscrito
Nas humaníssimas dores da Humanidade
E nelas lava o seu corpo místico
Como se rio fossem.

Manuel Veiga
In: Caligrafia Íntima. Braga: Poética Edições, 2017, p. 15

55 comentários:

Graça Pires disse...

Deste livro de Manuel Veiga, “Caligrafia Íntima”, disse a escritora Isabel Mendes Ferreira: […] é a memória antiga a ser futuro neste presente que nos grita ao perto o grito do poeta. “verso e reverso” da sua fala que nos revisita como se uma pluma fosse e nós leitores acompanhamos o gráfico grito sossegado e intimista de quem não ousa desistir de si. […]
Parabéns, Manuel Veiga!

Franziska disse...

Ousa porém o poeta o milagre inscrito
Nas humaníssimas dores da Humanidade
E nelas lava o seu corpo místico
Como se rio fossem.

El pensamiento, sin las fronteras propias de la lengua, alcanza las cimas de la verdad. Yo creo que está expresado con mucha claridad en los cuatro últimos versos del poema que nos ha dedicado hoy, muchas gracias. Saludos muy afectuosos. Franziska

Lucinalva disse...

Olá Graça
Bela postagem, bjs querida.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Gostei bastante deste poema do Manuel Veiga que não conhecia.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Cidália Ferreira disse...

Poema fantástico! Adorei

Beijo e uma excelente semana.

Agostinho disse...

A escrita de Manuel da Veiga ganha notoriedade pelo perfil vocabular inconfundível e pelas metáforas alicerçadas no saber clássico. Assim o entendo e tenho muito gosto em lê-lo, em prosa ou poesia.
Dos paradoxos da matéria e dos sentimentos se forma a poesia. MV não enjeita o fogo da fé na inverosimilhança do caminho: "e é de areia o rosto das miragens.

Bj.

manuela barroso disse...

Uma linguagem elaboradamente poética que tão bem define o estilo e perfil de Manuel da Veiga.
Uma lindíssima colheita na tua seara, Graça!
Beijinho **

Marta Vinhais disse...

Ousa gritar... tudo o que está por dizer, o que já foi dito e o que será dito....
Obrigada pela partilha e pela visita...
Beijos e abraços
Marta

Emília Pinto disse...

E do poeta saem palavras que , do coração, vão caindo em belo poema feito um rio de águas limpidas que " lavam a alma " de quem as lê. E assim " clama seus passos em caminhos inóspitos " onde, em meio a tantas dores, desamores e amarguras pede que " o fogo de um milagre " lhe dê alento e ilumine os seus dias; são dele as dores, são nossas...são as " dores humanissimas " de toda uma humanidade de coração de " pedra " que nos faz crer num iminente " colapso " de nossos dias. Há fel e muito, mas há também imenso mel adoçando os nossos corações e dando-nos esperanças de que um qualquer milagre aconteça e o amor entre todos apareça. Seriam assim diferente os versos do poeta...versos agradecidos, versos de cores garridas revestidos...sem amargura...
Não sabe o poeta, nem sabemos nós se essa humanidade no coração do homem será uma " miragem ", uma utopia, mas...como será o nosso caminho se não acreditarmos que um dia um " anjo " poderá desceder à terra cobrindo de paz este nosso mundo conturbado?
Também não sei o que este poeta quis transmitir com tão belas palavras e nem sequer ousaria descobrir, amiga; sei sim o que senti ao lê-las e da minha alma deixei que saisse esse sentimento; dela sai também o meu muito obrigada pelo belo momento e o desejo de que haja sempre uma luz forte iluminando o teu caminho.
Beijinhos, Graça!
Emilia

O Puma disse...

Abraço para os dois
e que viva a poesia

José Carlos Sant Anna disse...

Da poesia de Manuel Veiga só aplausos. Os seus passos levam-no longe. A sua poesia é de tempo e entrega. De viver e ir vivendo por saber que o mundo jaz lá fora e dentro dele.
Um beijo, amiga!

deep disse...

Bonito poema este sobre o ofício de ser poeta. :)

Licínia Quitério disse...

O talento do nosso amigo e a tua generosidade.
Abraços a ambos.

Pedro Luso disse...

Olá Graça.
Um poema excelente de Manuel Veiga (poeta que conheço graças a ti).
Ótima semana.
Um beijo.
Pedro

Isa Sá disse...

Mais um bonito poema.

Suzete Brainer disse...

Graça,

Imagino a dificuldade de escolher um poema diante de tantos poemas
excelentes do Manuel Veiga.
Porém, quando o poeta é excelente proporciona a segurança de oferecer
na partilha, um excelente poema, independente do poema escolhido.
Admirável poética do grande Poeta Manuel Veiga é uma oportunidade
para todos aqueles que apreciam a Poesia, mergulhar num universo
poético literário único e inesquecível.
Parabéns ao poeta Manuel Veiga e a poeta Graça Pires pela oportunidade
com seu espaço, a partilhar sempre a grande Poesia, a sua própria e
de outros poetas.

"Doirados são os reflexos a perseguir
As entranhas do vento.
Sem outra glória que não seja
A emoção alada.
E o fio tênue
Que as prende." (Trecho do poema -Sinais Furtivos e Emoções Breves-pág 46
livro: Caligrafia Íntima- Manuel Veiga)

Abraços aos dois!

Tais Luso disse...

Eu aprendi que poema é um fato consumado, não se discute! Apenas devemos senti-lo. E gostar. E voltar a ler.
E você, querida amiga, é muito sensível, sempre traz para sua Seara, poemas lindos e poetas de força! Muito bonito esse poema de Manuel Veiga.
Grande beijo, amiga.

Vanessa disse...

Belíssimo texto, marcou bastante!!
bjss

Marli Terezinha Andrucho Boldori disse...

Boa tarde, Graça, que bom que compartilhou tão rico poema de Manuel Veiga conosco,
gostei muitíssimo, pois eu não o conhecia.
Poema que mexe com nossos mais íntimos sentimentos,
passa por todos os problemas que nos deixam inseguros, e nos dão
uma nova maneira de apreciá-los. Parabéns! Abraços!

Silenciosamente ouvindo... disse...


Gostei desta poesia de Manuel Veiga.

A amiga sendo partilhando boa poesia.

Desejando que se encontre bem.

Bjs.
Irene Alves

Aline Goulart disse...

Que poema mais bonito, Graça!
Vou compartilhar esse poema do Manuel Veiga no meu Facebook.

Beijinhos.

Manuel Veiga disse...

Graça, minha querida amiga
fico grato e comovido pela tua gentileza
e confesso que me soube muito bem este "miminho"
porque de ti vem e é ditado pela mais genuína amizade

beijo

AvoGi disse...

Demasiado belo e não conhecia
Kis:=}

lis disse...

Oi Graça
Tenho lido a poética de Manuel Veiga que lindamente, 'rasga as vestes e clama'...
e nos redime/reconquista a cada verso.
Excelente escolha para sua 'seara',que só complementa no que também é mestra.
Parabéns e abraços aos dois.

PARAÍBA PARA O MUNDO disse...

Um belo compartilhamento, um poema rico em metáforas escrito com alma e coração, o poeta sobeja inspiração, esbanja senssibilidade. Não conhecia o poeta, gostei bastante.
Abraços!

Odete Ferreira disse...

Mal iniciei a leitura do poema, identifuquei o poeta, apesar de o ler apenas há pouco mais de um ano.
A sua idiossincrasia poética marca o leitor pela excelência literária, pelo peculiar léxico e pelo arroubo poético que deste emana. Impossível não sermos arrastados na força da sua poética!
Excelente escolha para este teu espaço!
Bj, Graça

Bell disse...

Gostei, a humanidade está bem representada nesses versos.

bjokas =)

Odete Ferreira disse...

Corrijo, identifiquei

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi, mestra/Poetisa, Graça Pires !
Que lindo momento de inspiração,
teve o Poeta Manuel Veiga, ao escrever
tão belas letras !
Muito grato, Amiga, por compartilhar.
Um fraterno abraço, aqui do Brasil !
Sinval.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Graça querida
muito obrigada por compartilhar
esse tesouro em forma de poesia.
É maravilhoso poder ler você
aqui.
Aguardo sua visita lá
no Espelhando, viu?
Bjins
CatiahoAlc.

Victor Barão disse...

Poema com Alma _ com ...sentido da Alma!

Grato

Beijo

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, lindo poema do Manuel Veiga, não conhecia o mesmo.
AG

São disse...

Acompanho Manuel Veiga desde há anos e este é um dos seus mais belos poemas.

Parabéns a ti e a ele.

Beijinhos

Arroz Di Leite disse...

Passando para lhe desejar uma boa tarde.
Bjs

Tânia Camargo

Ana Freire disse...

A poesia sempre descobrindo inúmeras formas, e desdobrando-se numa infinidade de sentires... para chegar à sua foz... os leitores...
Belíssimas palavras do Manuel Veiga, que adorei descobrir por aqui...
Como sempre, uma partilha notável, por aqui, Graça!
Beijos e abraços para ambos!
Ana

Isis disse...

Incertos e cativantes os caminhos do pensamento ,sem linha , sem fronteiras!
Profundo e lindo!
Isis

FILOSOFANDO NA VIDA Profª Lourdes Duarte disse...

Boa noite querida!
A minha visita hoje é para lhe parabenizar pela linda poesia e desejar-lhe uma noite de paz e um amanhecer feliz.
Abraços, Profª Lourdes Duarte.
https://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/

Nadine Granad disse...

Oi, Graça!

Delícia de poema! Ótima escolha!
Reli várias vezes!...

Beijos! =)

Jaime Portela disse...

Gosto da poesia do Manuel Veiga.
E este poema não foge à regra, é magnífico.
Graça, um bom fim de semana.
Beijo.

Marta Moura disse...

Bom fim de semana!

Louraini Christmann - Lola disse...

Gostei do banho do poeta nas águas místicas...
Mmmmm! Muito bom!

abraço
Lola

alp disse...

Hola, paso para saludarte y desearte feliz verano..un saludo desde Murcia....

© Piedade Araújo Sol disse...

Graça

uma boa escolha deste poema de Manuel Veiga, que tem sempre uma poesia ímpar e cheia de metáforas que por vezes nos deixam a pensar

parabéns aos dois ...

bom final de semana.

beijinhos

:)

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, lindo poema.
Bom fim de semana
Beijinhos
Maria de
Divagar Sobre Tudo um Pouco

baili disse...

beautiful poem!!!
plausible effort by great poet indeed

Alfredo Rangel disse...

Graça

Parabéns pela escolha esta belíssima poesia de Manuel Veiga, o que demonstra seu cuidado em reproduzir aqui sempre os mais lindos versos... Muito bonita a poesia.

RANGEL

Daniel Costa disse...

Graça Pires
Na verdade o poeta, por muito rabiscar, sempre acaba por ousar. Como o poema que li, há uma ousadia mental. É isso que se pode notar, interpretando a beleza do poema.
Bjs

Olinda Melo disse...


O Poeta veste as mágoas da Humanidade, identificando-se com ela.
Com ela sofre e lança o seu grito de dor e de revolta.

Um belo poema de um poeta que não conhecia. Mas, já fui à procura
dele e da sua biografia. Gostei muito do que vi e li. E vou
continuar na sua senda.

Obrigada, Graça.

Bj

Olinda

solfirmino disse...

Será que alguma dor redime a Humanidade?
Beijo querida.

Anete disse...

Um poema rasgante... Rasgar a alma com versos traz efeitos maravilhosos!
Bj

LE CHEMIN DES GRANDS JARDINS disse...

Bien que le traducteur GOOGLE reste trop imprécis à mon goût, il me permet d'approcher l'âme de ce poème et de l'apprécier.
Merci pour ce bel envoi.
En toute amitié.
Roger.

Fá menor disse...

São assim os nossos tempos, de onde o poeta ousa emergir.

Beijinhos

Sinval Santos da Silveira disse...

Oi Amiga, Graça Pires !
Lindos passos poéticos de Manuel Veiga,
compartilhados em tua "Seara Alheia",
querida Mestra. Muito agradecido, com
um carinhoso abraço, aqui do Brasil.
Sinval.

graça Alves disse...

Bela escolha, como sempre!
Adorei o poema.
Beijinhos

Teresa Almeida disse...

Quase não preciso de ler o nome do autor. Só o confirmo. Manuel Veiga é um autor multifacetado, mas tem um traço único. Tem marca de qualidade. Derrama estética, cultura e profundidade. Possuo o seu último livro “Caligrafia Íntima” e gosto de o ter perto.

Beijinhos, Graças Pires e Manuel Veiga.